sábado, 3 de setembro de 2016

sábado, 20 de agosto de 2016

Relações públicas e hospitalidade olímpica.

Rio 2016: um case de PR internacional.

As Olimpíadas do Brasil não são apenas a festa mundial do esporte. O evento também é o maior encontro de culturas e nacionalidades do planeta, com mais de 200 países participantes. Para aproveitar tamanha convergência de povos, alguns países montaram casas temáticas exclusivas numa ação de relações públicas internacionais,  goodwill e claro, futuros e bons negócios.

No Rio de Janeiro, essas casas têm esbanjado hospitalidade para diferentes públicos, servindo como ponto de encontro tanto para quem quer assistir às competições esportivas, ao vivo, em telões e como também para empresários, autoridades governamentais e convidados especiais. O mais importante é fortalecer a boa imagem da marca daquele país.

O mundo está no Brasil.

Contando com a simpatia de seus atletas, países como Alemanha, Colômbia, Catar, Coréia do Sul, Dinamarca, Grã-Bretanha, Holanda, Jamaica, Japão e Suíça, entre outros, vão conquistando os visitantes. Dessa estratégia de relacionamento, bons negócios surgirão mas também legados simbólicos ficarão para a cidade do Rio de Janeiro.

O Catar, por exemplo, vai apoiar a instalação de uma biblioteca numa escola pública bilíngue que ainda vai ser inaugurada. País-sede da Copa do Mundo de Futebol de 2022, apresenta a história do reino, a música e a gastronomia, numa decoração que simula um mercado típico do país, com pintura de hena, caligrafia e shawarmas (sanduíches).


A Suíça promete deixar de legado a reforma total do campo de baseball da Lagoa, bairro no qual montou seu espaço, seguindo as normas da Confederação Brasileira de Baseball. Trabalhando o posicionamento “Venha Swissar com a gente”, os suíços estão oferecendo workshops de chocolate, degustação de feuerring (o churrasco suíço), patinação no gelo e venda de produtos Made in Switzerland.

A Dinamarca, instalada nas areias da praia de Ipanema, trouxe a Lego como empresa linha de frente para participar da sua casa temática e receber visitantes do mundo inteiro, bem como a mídia brasileira. Com base nos valores dinamarqueses, tais como sustentabilidade, inovação e um cuidadoso senso de comunidade, eles vão doar bicicletas para a cidade do Rio de Janeiro, além de brinquedos educativos para escolas públicas municipais e uma grande maquete com as atrações turísticas da cidade feita inteiramente de Lego, patrocinador do espaço.


O maior legado da Rio 2016.

O mundo se encontra no Brasil e o maior legado destes Jogos Olímpicos vai ser essa aula de convivência multicultural e um compromisso renovado com a paz e a harmonia entre os povos. É possível uma festa grandiosa como essas levar uma mensagem de esperança, trabalho em conjunto, alegria, diálogo e cooperação como o Barão de Coubertin idealizou? Sim! E é o Brasil encantando o mundo que garante essa entrega, pois a casa maior é a nossa casa, recebendo milhares de visitantes!

A hospitalidade vale muito para a imagem de países, empresas e profissionais que desejam pensar grande e realizar eventos grandiosos, como essa histórica Rio 2016, na qual nós, os anfitriões dessa festa mundial, já levamos a medalha ouro.