sábado, 17 de novembro de 2007

Comunicação externa online. Comunicação interna offline.

No último dia 14 de novembro, o jornal O Globo publicou parte de uma pesquisa da PricewaterhouseCoopers e da Associação Mundial de Jornais (WAN, na sigla em inglês):
o jornalismo online está crescendo em audiência global e a participação do leitor também.
O que significa isso?
Na parte que quero comentar, aqui, a de que os leitores ganharão cada vez mais "voz" imediata, maior participação e interatividade.
Uma tendência mundial para jornais e revistas publicadosa na web.
E dentro das empresas?
Bom, no Brasil, ainda temos muito o que evoluir. Fora das organizações cujo core business é a alta tecnologia (e mesmo em muitas delas), a participação e a interatividade dos funcionários nas Intranets (redes internas) é um desafio.
Enquanto um funcionário, de sua própria casa, pode interagir com seus sites de notícias preferidos, mandando comentários, críticas e sugestões, participando na construção e no desdobramento das notícias publicadas, na maior parte das empresas isso está longe de acontecer.
Algumas empresas ainda pensam seus conteúdos digitais de uma forma impressa,
onde uma área publica e, teoricamente, o funcionário - obediente - lê.
Doce ilusão.

A questão é como tornar esses ambientes virtuais atraentes aos funcionários, leitores sedentos por informações, por métodos mais ágeis de trabalho e busca de soluções compartilhadas?
Minha recomendação (dentro das possibilidades culturais de cada organização):
estimular a interatividade. Dar melhor condição para um funcionário interagir com o assunto que mais lhe interesse, facilitando a colaboração entre equipes.

É uma quebra de paradigma, com certeza.
Mas o futuro, exige novos modelos de trabalho.
E uma Intranet conduzida pelo funcionário é um desafio necessário e estimulante para empresas que possuem a inovação como um de seus valores.
E todas as outras empresas que possuam uma Intranet, também.

Afinal, a comunicação interna não pode ficar offline de um mundo que está cada vez mais online.

2 comentários:

Ed disse...

No cenário atual quanto mais offline, mais distante as empresas ficam de seus colaboradores. E isso é péssimo para qualquer negócio. Muito bom levantar a bola deste assunto!

Luiz Antônio Gaulia disse...

Exato, Ed, obrigado pelo comentário.
As empresas - sejam públicas ou privadas, devem ser ambientes participativos, onde o diálogo seja uma constante.
Muitas organizações só possuem espaços virtuais, mas não possuem uma "mentalidade" digital compatível com a dinâmica deste universo.