sexta-feira, 2 de novembro de 2007

O silêncio também fala.

Não dá pra ficar calado - principalmente num mundo de interatividade crescente. Principalemnte quando boatos e denúnicas correm soltas, inundando os corredores da empresa. O silêncio nunca foi boa estratégia de comunicação. Se não há o que falar de imediato, peça um tempo para apresentar a versão oficial dos fatos. Pedir um pouco de prazo para esclarecer alguma situação, não é ruim. Pelo contrário. É inteligência. E o público respeita.

Porque o silêncio, esse intangível, pode causar danos tangíveis no valor e na reputação de marcas, produtos, programas, profissionais. Um intangível capaz de causar greve, boicote, investigações, quebra de contrato.

Portanto, uma recomendação: use a voz da organização de maneira correta. Ninguém precisa gritar para chamar a atenção. Especialmente com boas notícias. É fácil falar das boas notícias. É tentador ficar em silêncio diante das más notícias. Mas...não se pode silenciar quando as coisas não vão bem. Pois com o silêncio, elas podem piorar.

O silêncio é um mau conselheiro. Porque ele diz muita coisa, mesmo sem querer.

3 comentários:

Neusa disse...

Parabéns por tratar de um assunto que é tratado como tabu em algumas empresas, de maneira tão simples.

Luiz Antônio Gaulia disse...

Neusa, o universo da psicologia humana é fascinante exatamente por isso: tabus, desafios, medos e crenças. Na minha opinião cabe ao líder ser o roll modeling da organização...mas todos nós podemos dar nossa contribuição no dia-a-dia.
Abçs.

Anônimo disse...

Para completar o "Silêncio também Fala" - sob a ótica da administração pública, transcrevo parte do artigo do Senador Cristóvão Buarque (PDT_DF) intitulado - Verdade Silenciosa:
"O conluio do silêncio é antigo. (...) Não há verdade silenciosa. Coberta pelo silêncio, a verdade é uma mentira. A opção pela verdade silenciosa contamina todo o tecido social.O silêncio termina sendo uma das causas da falta de princípios na política e um vetor para a corrupção - inclusive a corrupção do silêncio."
Fica o trecho para registro.