domingo, 10 de fevereiro de 2008

Comunicação face a face 5


Algumas pessoas me perguntaram como se começa um processo de comunicação face a face dentro de uma organização. Bom, as metodologias podem variar conforme os consultores e as realidades de cada negócio. O que posso sugerir é um processo inicial dividido em quatro etapas - dentro de uma proposta piloto:


  • SENSIBILIZAÇÃO - A palavra em si já representa uma quebra de paradigma para algumas empresas. Quem precisa "sensibilizar" os executivos? Os líderes? Bom, se a comunicação face a face não está fluindo como devia é sinal que a parte emocional das pessoas não está equilibrada. A etapa da sensibilização trataria então das barreiras emocionais da comunicação intrapessoal (se eu não entendo minhas reações não poderei entender as dos outros) e da comunicação interpessoal;

  • VIVÊNCIA E PRÁTICA - Depois de entender as reações emocionais e psicológicas e as barreiras que podem derivar delas, partimos para uma prática de vivência em comunicação face a face. Esta fase da implantação pode ser montada com jogos interativos, simulação de episódios cotidianos nas organizações, encenações e muita, muita discussão em grupo - grupos de diferentes níveis hieráquicos (mais uma quebra de paradigma);

  • CONSTRUÇÃO DO CALENDÁRIO DE REUNIÕES - O encontro entre as pessoas deverá ser estimulado constantemente - pois a tendência é que as pressões do cotidiano não permitam que as equipes tenham tempo para se encontrar e se falar. Ou seja, é preciso montar um calendário de reuniões entre as pessoas da organização, em seus diferentes níveis de hierarquia. Mas é importante ter foco. Quais os objetivos de cada encontro? Quais as ferramentas de comunicação que vão apoiar e estimular o processo? Como garantir a presença das pessoas? Os líderes estão comprometidos?

  • MENSURAÇÃO - Como qualquer ação de comunicação, os encontros e as atividades devem ter constante feedback das próprias pessoas participantes. A prova de fogo é a Pesquisa de Clima - que deverá apontar as melhorias no ambiente de trabalho oriundas do movimento. Uma Pesquisa de Comunicação Interna e em algumas organizações, a Negociação do Acordo Coletivo também medem os resultados do processo.

2 comentários:

chparente disse...

Olá !

Antes de mais nada parabéns pelo blog !! Está muito gostoso de navegar e rico em informações !!
Quanto ao tema Face a Face segue um comentário: É fundamental treinar os gestores em comunicação. Não adianta criar os "espaços" para o diálogo e se defrontar com questões básicas de incapacitação de falar em público, sumarizar uma mensagem,destacar os temas relevantes etc.Sou defensor de um amplo e contínuo treinamento vivencial e teórico da competência "Comunicação".
Abraços,
Carlos Parente

Luiz Antônio Gaulia disse...

Excelente comentário.
Bem lembrado. O processo é contínuo e a vivência em comunicação deve ser prática diária. Os gestores são o público inicial desta "educomunicação" e os "role models" da organização.