quinta-feira, 12 de junho de 2008

Marca, fascínio e magia - 4

No turbilhão de marcas, nomes, apelos, mensagens e propaganda que vivemos nestes tempos ultra interativos (serão mesmo ?), a conquista da mente do cliente já tornou-se a conquista pelo coração do cliente. Conquistar a alma é um passo mais difícil...ok?

Mas como conquistar o share of mind e o share of hearth? Posicionar produtos de maneira a se destacar? Qual o segredo? Na dinâmica do mercado não existem fórmulas prontas. Seres humanos não possuem manuais de funcionamento técnico (mesmo que alguns engenheiros assim gostariam). Somos mutantes, diversos, variáveis. Por isso, marketing é antes de tudo, emoção.

O que vale, contudo, é um posicionamento adequado. E posicionamento é o lugar que podemos ocupar na mente (e no coração ) do cliente. É a primeira lembrança, por exemplo, que ele terá caso, diante de uma vitrine de loja ou da gôndola do supermercado, ele se pergunte: Qual sabão em pó vou comprar? Qual o remédio para dor de cabeça que eu escolho? Qual o tênis?

Caso a pergunta já venha com a resposta, o posicionamento atingiu em cheio seu objetivo - ocupar aquele espaço na memória do consumidor. Bons exemplos?
- "Vou comprar uma Gillette" (como sinônimo de lâmina de barbear);
- "Vamos tirar uma "Xerox" (sinônimo de fotocópia);
- "Coloca um Band Aid" (bandagem adesiva);
- "Passa um "Bombril" (palha de aço).

Outros casos de sucesso são as Havaianas e o All Star. Marcas que estão numa trajetória que merecem ser acompanhadas. Havaianas, por exemplo, não são "sandálias" apenas, mas uma borracha de grife, item de moda, acessório de valor. O "tênis" All Star, também: as pessoas não calçam mais um tênis, elas usam um All Star.Sutil e valiosa diferença para uma marca.

Conheça mais sobre estes produtos visitando os endereços:http://www.havaianas.com.br/ e http://www.converse-allstar.com.br/home/default.aspx . E se quiser, consulte o livro: "Posicionamento" de Al Ries e Jack Trout, um clássico sobre o tema.



Nenhum comentário: