sexta-feira, 25 de julho de 2008

"Mão de obra" para o "chão de fábrica"...

Deve ser altamente motivador ser reconhecido e denominado como um trabalhador do "chão de fábrica", vocês não concordam? E deve ser mais estimulante ainda ser considerado "mão de obra" que vai trabalhar no "chão de fábrica".

Estas terminologias são bastante usadas por muitos profissionais, incluindo comunicadores e diretores de recursos humanos. Já vi inclusive curso de "Comunicação para o chão de fábrica" - o que deve criar dois mundos dentro das empresas: o da administração - provavelmente o pessoal da "cobertura de fábrica" e aqueles outros...do chão de fábrica.

Integração de equipes assim fica difícil, pois a divisão já está no discurso.

Na minha avaliação, esses termos são ultrapassados e desqualificam o profissional. Mão de obra e chão de fábrica são uma dose dupla de desprestígio, convenhamos. Por isso, atenção, ao tentar classificar uma categoria profissional dentro da sua empresa, cuidado para não criar uma barreira e desqualificar as pessoas.

Todo mundo tem nome, sobrenome, profissão e responsabilidades. E sentimentos, orgulho, vaidade...ou não?

Nenhum comentário: