quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Comunicação criativa.


Nesta quarta-feira participei do Comitê de Comunicação Digital promovido pela ABERJE e tive o prazer de escutar Steve Crescenzo, especialista norte-americano em comunicação interna e mídias digitais.

É sempre prazeroso escutar profissionais com diferentes históricos e diferentes clientes falar sobre como empresas e líderes, que sempre quiseram ter o controle e a centralização das informações, têm como desafio conviver com uma geração de profissionais cada vez mais conectados, interativos, opinativos e exigentes. Gente que, segundo o palestrante, edita, publica, cria e monta suas próprias redes e grupos relacionamentos e troca de informações. Pessoas que desejam fazer isso também dentro das organizações – o que é uma oportunidade de ouro para as empresas na sua gestão do conhecimento. Como foi o caso da empresa Tecco Energy e a montagem de um espaço digital interativo com blog (“Daily News History”), chats comentando notícias na imprensa (“How we see it”) e o Tecco Tube – inspirado no You Tube, onde funcionários aparecem em vídeos explicando situações diárias de trabalho, compartilhando projetos, idéias ou mesmo respondendo dúvidas sobre ações específicas, metas, clientes...

Segundo Steve, o momento é muito rico para os comunicadores. Hoje possuímos uma quantidade grande de plataformas de comunicação que permitem maior criatividade. O que facilita soluções ideais para cada tipo de organização. Há modelos e combinações possíveis para todos os gostos, tamanhos e culturas! E é por isso que Steve disse que a “comunicação corporativa” está dando lugar à “comunicação criativa”.

Dessa forma, uma das regras básicas, segundo Steve, quando uma empresa decide mergulhar na interatividade colaborativa deste universo digital é lembrar da “entertainment expectation”. Ou seja, a expectativa de entretenimento que o usuário busca, porque a comunicação das empresas pode ser séria, mas não precisa ser maçante, cheias de frases feitas ou até mesmo tão formal que transmita mau - humor.

Afinal, um grande negócio pode ter boas doses de alegria. Que o diga a Disney, corporação criada a partir do desenho de um ratinho.

Na foto acima, Steve Crescenzo, meu amigo Paulo Nassar da ABERJE e Eraldo Carneiro da Petrobrás, patrocinadora do Comitê. Para saber mais sobre as idéias do palestrante, acesse: http://www.stevecrescenzocomm.com/

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Relatórios de Sustentabilidade - Vale.

Dia 26 de setembro é o lançamento oficial do Relatório de Sustentabilidade 2007 da Vale, o primeiro no modelo da GRI.

É uma grande satisfação ter participado deste projeto, em conjunto com profissionais de primeiro time desta mineradora "verde-amarela e global". Um trabalho de aprendizado e mudança de gestão que ainda tem muito caminho pela frente, mas que conta com a dedicação de pessoas comprometidas com um valor fundamental: "Respeito à Vida".




domingo, 14 de setembro de 2008

Inovação - 2


A The Feast será uma conferência em Nova York (EUA) que vai reunir profissionais, pesquisadores e empreendedores para falar sobre inovação. Entre outros temas, serão discutidos projetos como agricultura vertical (vertical and indoor farming), ecologia médica, criatividade produtiva além de design, marketing sustentável e marcas ambientalmente amigáveis (eco-friendly brands).

Algumas empresas que estarão presentes ao encontro merecem uma visita aos seus endereços eletrônicos:
http://www.behance.com/
http://www.verticalfarm.com/
http://www.ideo.com/thinking/focus/going-to-market/

Inovação: pensando...dentro da caixa!


Escutei mais uma vez, numa conferência, o já batido: “pensar fora da caixa” para traduzir o que as empresas estão buscando: inovação. A tal “quebra de paradigmas” (termo também já bastante conhecido) que muitas organizações perseguem, mas poucas conseguem praticar.

Afinal, inovação exige: abertura mental, colaboração entre diferentes pessoas, visão multidisciplinar e, principalmente, risco. E risco, convenhamos, num mundo inseguro onde os negócios globais estão uma verdadeira briga de cachorro grande, não são fáceis de serem aceitos. Ainda mais como um processo de aprendizado contínuo, de reinvenção do processo de trabalho para se conseguir chegar (ou não) a um patamar original e diferenciado em relação aos concorrentes.

Mas, às vezes, as boas idéias são mais simples do que se imagina. Como por exemplo: fazer melancias...quadradas - como essas aí da foto. E acredite, não são obras de complexa engenharia genética ou complicados sistemas biotecnológicos. São apenas frutas que crescem, desde pequeninas...dentro de caixas! Uma solução de agricultores japoneses para dar mais espaço nas prateleiras de supermercados do país que tem grandes talentos, mas pequeno espaço geográfico.

Inovação, vamos falar mais sobre isso...

domingo, 7 de setembro de 2008

Comunicação Empresarial Internacional

Terceira turma do Curso de Comunicação Empresarial Internacional da Universidade de Syracuse (USA) e da ABERJE, da qual tenho a grata satisfação de participar e compartilhar experiências. A foto foi tirada por Simon Collister, PR and Social Media Professional (Edelman - UK).