quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Comunicação criativa.


Nesta quarta-feira participei do Comitê de Comunicação Digital promovido pela ABERJE e tive o prazer de escutar Steve Crescenzo, especialista norte-americano em comunicação interna e mídias digitais.

É sempre prazeroso escutar profissionais com diferentes históricos e diferentes clientes falar sobre como empresas e líderes, que sempre quiseram ter o controle e a centralização das informações, têm como desafio conviver com uma geração de profissionais cada vez mais conectados, interativos, opinativos e exigentes. Gente que, segundo o palestrante, edita, publica, cria e monta suas próprias redes e grupos relacionamentos e troca de informações. Pessoas que desejam fazer isso também dentro das organizações – o que é uma oportunidade de ouro para as empresas na sua gestão do conhecimento. Como foi o caso da empresa Tecco Energy e a montagem de um espaço digital interativo com blog (“Daily News History”), chats comentando notícias na imprensa (“How we see it”) e o Tecco Tube – inspirado no You Tube, onde funcionários aparecem em vídeos explicando situações diárias de trabalho, compartilhando projetos, idéias ou mesmo respondendo dúvidas sobre ações específicas, metas, clientes...

Segundo Steve, o momento é muito rico para os comunicadores. Hoje possuímos uma quantidade grande de plataformas de comunicação que permitem maior criatividade. O que facilita soluções ideais para cada tipo de organização. Há modelos e combinações possíveis para todos os gostos, tamanhos e culturas! E é por isso que Steve disse que a “comunicação corporativa” está dando lugar à “comunicação criativa”.

Dessa forma, uma das regras básicas, segundo Steve, quando uma empresa decide mergulhar na interatividade colaborativa deste universo digital é lembrar da “entertainment expectation”. Ou seja, a expectativa de entretenimento que o usuário busca, porque a comunicação das empresas pode ser séria, mas não precisa ser maçante, cheias de frases feitas ou até mesmo tão formal que transmita mau - humor.

Afinal, um grande negócio pode ter boas doses de alegria. Que o diga a Disney, corporação criada a partir do desenho de um ratinho.

Na foto acima, Steve Crescenzo, meu amigo Paulo Nassar da ABERJE e Eraldo Carneiro da Petrobrás, patrocinadora do Comitê. Para saber mais sobre as idéias do palestrante, acesse: http://www.stevecrescenzocomm.com/

Nenhum comentário: