quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Encontro Aberje - Regional Rio de Janeiro

Participei hoje do encontro da Aberje no Rio de Janeiro que aconteceu no auditório da Coca-Cola. Casa cheia. Mais de cem pessoas para ouvir Mauro Segura, Diretor de Comunicação da IBM Brasil com a palestra: "Uma nova comunicação interna".

Entre as principais questões colocadas, algumas me chamaram mais atenção: a) que toda empresa tem seu lado "dark" ou seja, as redes de comunicação paralelas e incontroláveis que acontecem em conjunto com a comunicação oficial estão deixando a antiga rádio-corredor obsoleta e b) o caos que as novas opções de redes sociais estão produzindo nas organizações com seus blogs, wikis, fóruns (jams) estão produzindo uma sensação de descontrole nunca antes experimentada.

Na IBM, gigante global de prestação de serviços (agora eles têm até um Banco IBM, vejam, essa eu não sabia, mas estava lá no power point apresentado) esse lado oculto está sendo influenciado por uma equipe plugada 24/7 (rs, rs) através de novas opções de veículos e liberação de blogs e wikis internos que chegam a 10 mil e 50 mil, respectivamente. Um universo paralelo que na verdade é o universo real que faz a estratégia da empresa acontecer.

O que podemos aprender com a Big Blue? Que a época dos controles acabou, pois as pessoas estão cada vez mais montando redes e colaborando entre si e que cabe aos comunicadores serem os mais atuantes "influenciadores culturais" das organizações. Show de bola!

E para quem quiser, Mauro Segura possui um blog(lógico)! Eis aí o caminho: http://www.aquintaonda.blogspot.com/

2 comentários:

Maurette disse...

Luís, acho que está mais claro do que nunca que a informação hoje é livre, solta (e nem sempre leve, é verdade), e que ninguém mais conseguirá controlá-la. O caos é a liberdade, já antecipavam os anarquistas. Mas não sei se, no caso das empresas, as redes paralelas seriam, necessariamente, um lado "dark". Têm um imenso potencial de participação, de politização e também de contribuição ao sucesso da empresa. O que falta é cabeça para reconhecê-las como tal. A "cabeça" empresarial ainda tem muito em mente o controle sobre as pessoas. Isso é que precisa mudar. Aliás, já passou da hora de mudar, pois só as empresas que estão enxergando isso terão chances! Ninguém quer ficar atado, atrasado no mundo. A investidura de um poder supostamente "perigoso" para a organização, pelas redes paralelas, é exponencialmente proporcional ao afastamento que a direção se impõe, em relação a elas. E não há muito a fazer senão encarar, mesmo, reconhecê-las e, a partir desse entendimento, trabalhar com elas.

Maurette

Mauro Segura disse...

Gaulia. Que bom que você gostou da palestra. É sempre muito bom compartilhar experiências e trocar visões. Eu não sei se o termo "lado dark" é um termo apropriado, mas o fato é que as empresas não enxergam ou não querem enxergar essas comunidades. Pode ser por conveniência ou por medo das empresas terem que interagir com tais redes paralelas. Enfim, esse é um tema ainda pouco explorado por muitas empresas.
Por fim, gostei muito de seu blog. Já coloquei nos favoritos também. Abcs.