domingo, 26 de abril de 2009

"Líder engajado"?


O consultor de empresas Didider Marlier, um dos autores do livro "Engaging leadership", recém publicado na Europa, defende que um novo tipo de líder empresarial vai ser necessário diante da crise mundial que estamos vivendo.

Uma das características deste novo líder (que o autor chama de "líder engajado" - termo já utilizado pelo Professor Henry Mitzenberg em seu livro "Managers not MBAs") é o lado emocional, onde diante da chegada de momentos críticos como a demissão de pessoas e o fechamento de fábricas, o executivo deverá abrir espaço para que os empregados possam influenciar nos processos. O tal líder engajado de Didier Marlier vai trabalhar mais à escuta dos empregados.

Numa entrevista publicada no O Globo, de 19 de abril, o autor cita como um exemplo deste novo tipo de liderança o CEO da LEGO Jorgen Vig Knudstorp que antes da demissão de empregados, criou a Casa do Futuro para preparar e capacitar os empregados para outras opções de trabalho fora da Lego. Tudo isso, um ano antes das demissões. O mesmo Jorgen, inclusive, segundo o consultor, possui um blog.

Como quase morri de curiosidade, fui vasculhar o espaço virtual atrás do blog de Jorgen Knudstorp e achei dois espaços interessantes. O primeiro endereço (desculpem eu ainda não uso o tinurl, ok?) é do site oficial voltado para o uso do Lego pelos fãs (empregados ou não), inovações e apresentação de peças e comentários. Show, inovador e sintonizado com o momento tecnocultural que vivemos. O segundo endereço, traz a versão não-oficial, que é uma versão "lado b" do endereço eletrônico oficial.
Enfim, internet e engajamento tem riscos. Como tudo na vida. Não é fácil ser transparente, nem ser um líder engajado de verdade. Sempre vão existir os descontentes, os concorrentes e os descrentes. E a turma que não vai aprovar a montagem de um blog ou de um programa de conversa livre. Por isso, ainda tem muito líder autoritário por aí, acreditando que sabe tudo e "comandando" pessoas "de cima para baixo".

Visitem os dois endereços...vale a pena:

BLOG OFICIAL:

BLOG "LADO B" :

6 comentários:

Anônimo disse...

Gaulia,

Peço desculpes a seus leitores e voce para meu pessimo Portugues. Frances é minha lingua materna (ninguem esta perfeito;).

Obrigado para ter notado o artigo da Sra Berlinck comentando nosso livro "Engaging Leadership". Espero que voce vai puder o ler, acho que tem um conteudo que lhe interessara como seus leitores. Achei exelente o previo artigo sobre limites. Agora voce tem um seguidor aqui na Suiça tambem;)

Voltando no assunto, ser esculhambado e ver suas intenções, para melhores que fossem, estar mau usadas acontece. As palavras do famoso Rudyard Kipling no seu poema "If" me vieram logo na cabeça: "If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools" (Si voce pode aguentar de ver sua sinceridade sendo mascarada por gente dishonestas afim de enganhar idiotas). Basta lembrar a "campanha de ridiculização" que os republicanos conservadores lançaram contra o entao Senador Obama. Todavia, como o successo do Obama (ou do Jorgen e muitos outros) esta demostrando, as pessõas acreditam num lider de quem as ações (the acts?) estão coherentes com o discurso (o velho "Walk the talk").

Si voce não consegue encomendar meu livro a partir do Brasil me deixe seu endereço que afim que eu possa o te mandar. Parabens pela qualidade do seu blog. Voltarei, abraço
Didier Marlier

Luiz Antônio Gaulia. disse...

Amigo Didier, seja bem-vindo!
O importante não é a língua falada é a comunicação. Fazer-se entender e tentar compreender o outro. Obrigado pelo elogio ao blog. Abraço grande, Gaulia

Ignes disse...

Gaulia,

falando em crise, gostaria de saber sua opinião sobre a influência da crise sobre o trabalhado da área de marketing.

Tenho lido diversos artigos como o da Harvard Businees Review (http://www.hbrbr.com.br/index.php?codid=83), da McKinsey (http://www.mckinseyquarterly.com/the_downturn_new_rules_for_marketers_2262), Reuters (http://www.reuters.com/article/pressRelease/idUS125503+30-Jun-2008+BW20080630), The Economist (http://www.woweffect.be/?p=2127), entre outros sobre esse tema.

Porém, sabemos que os efeitos da crise no Brasil são diferenciados. E nossa forma de encarar clima de recessão também é diversa, até mesmo pela experiência estendida no assunto. Mas a maioria dos produtos de que dispomos são de marcas estrangeiras. O perfil do consumidor diante da crise tem se diferenciando de forma contínua no exterior, conforme já apresentado por instituições como Harvard, e o mesmo já está sendo comprovado no Brasil através de pesquisas do Observatório dos Sinais, Latin Panel etc.

Diante desse cenário, quais seriam as novas perspectivas do Marketing? Como se preparar para uma conjuntura mais nebulosa e frente ao medo instaurado e comprovado da crise econômica global?

Desde já, agradeço por suas preciosas informações,

Ignes

Luiz Antônio Gaulia. disse...

Olá, Ignes.
Tentarei responder suas considerações de uma maneira mais simples, pois na verdade precisam de um paper mais elaborado.
Acredito que "a crise é permanente", nunca houve uma establidade ou um cenário seguro. A mudança ocorre e por mais que se busquem controles, a dinâmica dos negócios, do mundo, das sociedades humanas é imprevisível.
Quanto ao "novo" marketing, se podemos chamar assim, um item não vai mudar: saber atender, servir ao cliente e cumprir as promessas das marcas e dos negócios. Entregar o que as pessoas desejam, criando novos produtos e soluções mais compatíveis com um mundo poluído por um consumismo exagerado de supérfluos e estímulos. Não vai ser fácil - mas nunca foi. O Brasil é privilegiado? Talvez,pois reunimos condições humanas, geográficas, de recursos e de potenciais bastante significativas. No mais,o que também não vai mudar é a necessidade permanente de sabermos "escutar" os diversos interlocutores que interagem direta ou indiretamente com empresas e seus negócios.Ou seja: comunicação e relacionamentos confiáveis.

Ignes disse...

Muito obrigada, Gaulia. Sustentabilidade é uma palavra-chave nos dias de hoje.

Parabéns pelo blog e pela entrada na Rebouças & Associados.

Abraços,

Ignes

karen.mota disse...

Gaulia! Mais notícias suas! Que bom saber que agora vc é consultor associado da Rebouças! A Nádia é ótima e com ela também está Bernadete Almeida (não sei se já a conheces, mas ela é um show!). Boa sorte, sucesso e mande notícias! Karen Mota