domingo, 26 de julho de 2009

Corrida contra o tempo?


Confesso que não gosto de deixar meu blog sem novidades por tantos dias, mas o ritmo da vida está frenético. Será que o relógio está correndo mais rápido com seus ponteiros? Há teorias sobre o assunto. Será que a marcha pelo progresso ou a busca pelo crescimento não nos obrigam a correr contra o tempo?

Tenho minhas teses. Visitando Pernambuco, neste trabalho de planejamento de comunicação no qual estou mergulhado nas últimas semanas, acredito que sim: progresso e crescimento afetam a velocidade do viver. Ao menos no modelo industrial econômico atual (o caminho até a sustentabilidade é bastante longo).

Suape é exatemente isso: um complexo industrial portuário que agrupa hoje, mais de noventa empresas numa espécie de condomínio de empreendedores. Desde grandes companhias como a Transpetro e a Refinaria Abreu e Lima, o Estaleiro Atlântico Sul, a Petroquímica Suape e a Bunge até outras empresas que chegam para mudar a realidade territorial. E que mudança! No meu entender o que está acontecendo aqui em Pernambuco é o início de um novo tempo no Brasil: o nordeste ganha mais peso na economia e equilibra a diferença com o "sul maravilha".

O fato é que é fascinante visitar a região e encontrar gente de primeira linha pensando num futuro mais sustentável diante de tantos novos projetos que mexem não só na economia, mas também no meio ambiente e nas relações sociais de maneira profunda. Mas que ninguém se iluda: tem muito chão pela frente e muita comunicação a ser feita: os interlocutores são variados e as culturas idem. O mundo está vindo para Pernambuco, acreditem. O Brasil já veio.

Agora, é questão de acertar os ponteiros com o futuro e a sustentabilidade, que tem que ser pontual. Sincronizada com o tal progresso, transversal nos modelos de gestão que estão sendo criados. A sustentabilidade, ela sim, é a única que não pode chegar atrasada nessa corrida contra os ponteiros do relógio.

Nenhum comentário: