quarta-feira, 29 de julho de 2009

Pedir licença.

Imaginem chegar na casa dos outros e entrar sem pedir licença. No mínimo falta de respeito, não é mesmo? É por isso que empresas que instalam operações em diferentes regiões do Brasil e do mundo devem fazer bonito logo na chegada: pedir licença.

E o que fazemos primeiro quando chegamos na casa de estranhos? Ora, nos apresentamos. Dizemos quem somos e o que estamos fazendo ali. Igualzinho antes do casamento quando o noive vai conhecer a família da noiva. Postura que serve para todo e qualquer empreendimento:uma loja gigante de varejo, uma fábrica, uma usina, uma refinaria ou um porto inteiro. A apresentação inicial e a forma como se chega podem fundar as bases de um relacionamento - bom ou ruim. De uma percepção favorável ou desfavorável.

E isso, prezados (as) leitores (as) é só o comecinho da história. Porque em matéria de relacionamentos é sempre fundamental pensar e trabalhar no longo prazo. Empreendimentos são como promessas de casamento: na doença e na saúde, torcendo sempre pela saúde e sem direito a divórcio, ok?

2 comentários:

Fernando Badô disse...

POis é, mestre. Está no momenot de as empresas perceberem que a tal da "licença social" depende mais do que só a geração de empregos.

Luiz Antônio Gaulia. disse...

"Licença social" é na verdade um convite ao futuro compartilhado - outra visão, necessária e inovadora. Exatemente isso, ao invés de licença social, convite ao futuro comum. Obrigado pelo comentário amigo!