quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A sutil diferença das palavras.

Como sua empresa lida com os tais "públicos de interesse" (stakeholders), por exemplo, na hora de começar um novo projeto numa região do Brasil ou mesmo em outros países?Ao chegar na região a sua empresa considera as pessoas nativas daquele local como "moradores" ou como "cidadãos"? Tem diferença?

Eu diria que sim, tem muita. Se considerarmos pessoas como cidadãos estaremos entendendo que elas têm direitos e deveres, têm condições de interferir em decisões que afetem seu futuro e possuem hábitos e costumes culturalmente enraizados naquele território que habitam. Se a organização que chega, ao contrário, considerá-los apenas como "moradores" - teremos outra abordagem. Eu por exemplo posso ser morador de minha casa de veraneio, nas minhas férias. Portanto, dois pesos e duas medidas, não é mesmo? Fica mais fácil deslocar moradores do que deslocar cidadãos. Fica mais fácil dizer que moradores podem ir povoar outro lugar, sem muitos traumas. Mas com cidadãos, acredito que a complexidade seja maior.

Ou seja, dá para perceber como as palavras têm significados e importância muito diferentes umas das outras e que em nossas relações precisamos compreender esses pesos? Essas variadas interpretações que as palavras carregam? É assim que, no meu entender, podemos aproximar ou afastar culturas singulares: percebendo a sutil diferença das palavras que usamos.

E se considerarmos o público interno, então, imaginem: cidadãos, mais do que profissionais ou muito mais do que "recursos" humanos. De novo, quanta sutileza a ser observada no vocabulário que usamos - muitas vezes sem notar seus reais significados.

2 comentários:

Ocappuccino disse...

boa, e gaulia, pode falar qual trabalho está realizando, já estou curioso de tanto ler nas postagens sobre o assunto

abraços,
mateus

Luiz Antônio Gaulia. disse...

Amigo, estou num projeto na Refinaria Abreu e Lima da Petrobras e da PDVSA em Pernambuco. O trabalho vai gerar um planejamento de comunicação interna e externa com diferentes interlocutores no território de influência do empreendimento.