domingo, 16 de agosto de 2009

Você tem fome de quê?


O tempo passa e o tempo voa, dizia uma um anúncio do Banco Bamerindus - que já não existe mais. Como o conhecimento é uma espécie de organização do passado (já que ninguém conhece o futuro) resgatei e compartilho aqui um trabalho dos meus tempos de redator publicitário para a Ação da Cidadania, movimento iniciado pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho.

A Ação da Cidadania foi o primeiro movimento que utilizou a comunicação de maneira estratégica e o marketing "social" para mudar percepções e atitudes. E através do seu Comitê de Idéias - em cujas reuniões participavam redatores, cineastas, jornalistas, diretores de arte e criativos geralmente se encontrando na Oficina de Marketing, agência da Nádia Rebouças e do Antonio Jorge Pinheiro, diversas campanhas foram criadas. Aliás, registro aqui que a própria estratégia de comunicação da Ação da Cidadania só teve sucesso mesmo porque contava com o planejamento e a coordenação direta de Nádia Rebouças.

Além do mais, tudo era feito de graça, de forma voluntária. Anúncios, textos, filmes e idéias eram criados e veiculados pela Globo, Band, SBT e pelos jornais O Dia, O Globo e o JB, além de outras mídias que não cobravam nada. Ou seja, era uma rede de comunicação do bem, simplesmente movida pela solidariedade humana (claro que havia uma boa dose de ego entre os publicitários na apresentação de suas criações, senão não seriam publicitários). Mas a causa era justa e a Ação da Cidadania, além de um movimento inédito, foi um case de comunicação inovador. Até hoje.


2 comentários:

Norton Tavares disse...

Olá Gaulia,

Excelente lembrança. O Comitê Idéias foi fundamental para que a Ação da Cidadania alcançasse a notoriedade nacional.

Nosso trabalho continua firme e forte, mas sentimos falta do apoio dos profissionais de comunicação e agências.

Abraços, Norton Tavares

www.acaodacidadania.com.br
www.blogemacao.com
www.youtube.com/acaodacidadania
www.twitter.com/acaodacidadania

Luiz Antônio Gaulia. disse...

Norton, bacana saber que a caminhada continua. Uma abraço grande, Gaulia.