domingo, 15 de novembro de 2009

Comunicação, marca e sustentabilidade.

Nesta terça-feira começa o Congresso Nacional de Bioenergia da UDOP (http://www.udop.com.br) em Araçatuba, SP. Um dos temas é comunicação e sustentabilidade. Fui convidado para falar sobre a "Comunicação como Ferramenta para atrelar a Identidade Corporativa à Sustentabilidade".

Eu poderia ter proposto a mudança no título mas o mantive de propósito, pois é interessante ver as percepções sobre o papel da comunicação na sustentabilidade. E estimular reflexões.

Ainda há um risco enorme de que as mudanças de gestão necessárias para um novo modelo de negócios sustentáveis não ocorram e que a comunicação faça apenas um bonito discurso, uma bela propaganda, sem qualquer conteúdo. Como uma embalagem sedutora por fora, mas que seja vazia por dentro, refletindo um exemplo de "green washing" (para usar um termo da moda).

Então, quando a comunicação poderá realmente ser uma ferramenta para atrelar a identidade corporativa à sustentabilidade?

Que tal fazer um exercício de múltipla escolha?

( ) Quando a comunicação refletir total coerência entre discurso e prática, gerando confiança na comunicação e credibilidade da marca;
( ) Quando as pessoas não forem mais consideradas como máquinas, recursos, “mão de obra” mas como principal motivo – razão social – das empresas;
( ) Quando a visão de longo prazo conseguir influenciar a gestão nos impactos econômicos, sociais e ambientais;
( ) Quando a comunicação construir relacionamentos entre diferentes públicos de interesse de maneira transparente, estimulando o aprendizado em comum;
( ) Quando a organização tiver maturidade suficiente para encarar essas questões;
( ) Todas as alternativas acima.

Nenhum comentário: