quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

O guarda-chuva chinês e a sustentabilidade.

Final de expediente. Chove forte. Do nada, surge o vendedor de guarda-chuva ali na esquina. Qual a marca? "Xing Ling Original" - diz o camelô. Para não ficar molhado até a alma eu compro um. Baratinho. Será? Ledo engano.

Três quarteirões adiante, uma lufada de vento mais audaciosa levanta as saias de umas moças na minha frente e mais, levanta o forro do Xing Ling entortando a estrutura e me deixando na mão. E agora? Devo procurar o SAC? O 0800? Posso devolver o produto por completa falta de qualidade? A chuva aperta. O que era "baratinho" ficou caro. Caríssimo.

Largo o monstrinho entortado na lixeira mais próxima. O que antes não tinha marca, agora tem. Chama-se desperdício - um mal da sociedade de consumo. Bem feito para mim! Nada de ser pego desprevenido. Guarda-chuva chinês não tem qualidade - todo mundo sabe. E mais...será que não foram crianças em trabalho semi escravo que costuraram a peça numa dessas fábricas medievais da China? Ou terão sido presos políticos do regime comunista mais capitalista da Terra? O crescimento chinês é pujante: mas a que preço? Nas Olimpíadas, a chuva amarela era de poeira e fuligem, lembram das imagens? Poluição é o custo do crescimento do dragão. Aliás, o dragão é um poluidor colossal. Mas quem se importa, ele mora longe, não é mesmo? Mas eu, aqui, a essa altura totalmente ensopado por causa do Xing Ling que teve vida curta e acabou na lixeira, estou escrevendo sobre isso. Será que o guarda-chuva é reciclável?

Bom, só me resta procurar uma nova e boa opção. Mais cara, mas talvez muito melhor: Knirps, marca alemã que desde 1928 é sinônimo de guarda-chuva. De primeira linha. Não, não é propaganda. A marca faz a diferença. A história por trás da marca também. Mas, antes, só pra garantir, vou mandar um e-mail pra saber se o original alemão não é "Made by Knirps in China". Afinal, consumo é hoje uma questão de extrema responsabilidade para com o planeta.Para com a vida e o futuro.

E chega de guarda chuva "baratinho" e descartável que dura só uma chuvarada, ou duas.Isso não é consumo consciente. Mesmo para um simples guarda-chuva.

No mais, visitem o site - www.knirps.de e também o site oficial da COP 15 - http://en.cop15.dk.

Afinal, guarda-chuva tem tudo a ver com mudança climática, não é mesmo?

Um comentário:

A. Costa Fernandes disse...

Caríssimo,

Parabéns. A sua apreciação está absolutamente correcta. De facto, comprar «made in China» ou «made in PRC» é deitar dinheiro ao lixo e poluir. Também fui enganado, ao comprar um guarda-chuva da marca «VOGUE» (dizem-me que era conceituada), mas fabricado na China.
Quando será que os capitalistas ocidentais põem termo a isto?
Por este caminho ficamos pobres e com péssimos produtos.
A. Costa Fernandes