quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

O que o BBB pode ensinar sobre a “rádio corredor”?

Confesso. Vejo o BBB 10 para desespero dos intelectuais de plantão e dos críticos da mediocridade na TV. Análises sociológicas à parte, deixem-me explicar.

Sentia-me culpado e precisava escrever sobre isso. Confessar minha audiência. Daí, de repente, caiu a ficha: o BBB é a cara de muitas organizações. Aliás, é a voz dos corredores. Com suas fofocas, bastidores, maledicências sobre “o líder” e sobre colegas de trabalho de outras áreas. Picuinhas e egotrips. Tudo por um prêmio final inacessível ou mesmo fugaz para a maioria: reconhecimento, fama e dinheiro, claro!

Neste show de entretenimento, milhões de votantes dos paredões "demitem" quem não está em sintonia com o grupo ou com o cliente (neste caso, os próprios telespectadores com poder de voto e de audiência). Milhões de telespectadores acompanham os candidatos ao prêmio e se identificam com seus estereótipos e os discursos dos engaiolados - que buscam sua PLR: um milhão e meio de reais.

E neste circo sensacionalista que engaiola gente durante alguns meses e faz do voyeurismo o prazer de fim de noite, todos perdem. O ambiente na casa consagra a desconfiança. Consagra o conflito, o baile de máscaras e a mentira. Tudo o que uma empresa não precisa. Mas, empresas são feitas de gente e gente faz fofoca... Igualzinho no BBB.

Portanto, sem tentar uma análise sociológica profunda (não tenho pretensão nenhuma nisso), finalizo. Quando um colega seu é demitido e você fica assistindo, não passa a sensação de que o próximo “paredão” pode ser com você? Sentimento e dúvida relativa ao “quando chegará a minha vez?”.

Qual a solução nesse caso? Porque para o BBB basta desligar a TV ou mudar de canal. Mas na vida corporativa as coisas não são tão simples.

Pois então, o BBB, além de um ótimo negócio para a Rede Globo em merchandising, não tem também certa validade para análise do comportamento humano nas organizações?

6 comentários:

Christiane D. Versuti disse...

Muito legal o post, o negócio agora é pensar como evitar o burburinho dos corredores que afeta as empresas de modo degativo.

Roni Erisson disse...

Concordo plenamento o BBB pode ser uma aula para nós comunicadores voce pode mensurar o comportamento humano, analisar como as pessoas agem sobre pressão e nos paredões você pode descobrir qual a percepção dos "chefes" que são os telespctadores poderia falar muito sobre o que BBB pode nos ensinar mais em resumo o post está ótimo !

Alejandro Formanchuk - www.formanchuk.com.ar disse...

My friend, you have a great blog! Very interesting! We keep in touch! Ale

André Fernandes disse...

Muito legal essa matéria!
A primeira edição do BBB me causou analise paradoxal. Programa de intelectual feito para povo, empresas referencias em Marketing e Merchandising que matem o programa vivo junto com seus milhões de telespectores que se indetificam com seus "herois e gastam seus R$ 0,31 por ligação, Msm..." Em Sintese: Assim como a música popular Brasileira, o Axé Music, o PAgode, o Fank... que faturam milhões do que as musicas de conteudo assim também o BBB.

Só nos resta pensar um pouco e tentar tirar proveito da falata de proveito.

André Fernandes
http://profissionaisvarejo.blogspot.com/

Anônimo disse...

Gaulia, de hoje, na FOLHA - sobre o livro: "A Televisão na Era Digital", um pedaço do texto da tese de doutorado de Newton Cannito sobre o BBB:"O jogo Big Brother é uma simulação do jogo social do homem contemporâneo. Por um lado, o jogador toma atitudes em prol de seus interesses para vencer. Mas por outro tem de parecer desinteressado. Não importa o que faça, sua imagem tem de se manter intocável.

O jogo dos participantes do Big Brother é também aquele a que cada um de nós está submetido diariamente no mundo do trabalho. Com a flexibilização do trabalho, quase não há emprego fixo, apenas trabalhos informais, onde a cada momento o indivíduo vive uma situação nova. O jogador (tal como o público) quer sucesso, mas está sempre em situação instável, num verdadeiro jogo de regras maldefinidas, cercado de pessoas que mal conhece e podendo ser eliminado a qualquer momento".
Abçs.
TC

Anônimo disse...

Reality show corporativo? Programa de Trainee da E&Y retrata rotina diária de executivos - tudo filmado...acessem:http://www.traineesey.com.br/
Abçs.