quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Stress digital?

Sabe da última novidade? Já ficou velha. Smartphones conectados à web, gadgets variados pulsando eletronicamente, notícias em tempo real. Velocidade, excesso e estímulos constantes, noite e dia. Dentro ou fora das empresas estamos vivendo um momento que considero ser de acentuado stress digital. Sei que o stress pode ser um incentivo para uma maior eficiência e rapidez de resposta, mas qual o limite suportável?

Mauro Segura, do blog A Quinta Onda, escreveu a esse respeito e a sua consequência imediata: "O espaço mental para a reflexão diminuiu consideravelmente. Eu mesmo recebo mais de 200 emails por dia." Ou seja: quem dá conta de tamanha avalanche de informação? Sei que esta discussão não é nova - mas pelas minhas observações, o nível de stress digital esta causando um déficit de atenção. Muitos profissionais reclamam, não só na área de comunicação, de que chegam ou saem do escritório fora do expediente normal somente para responder aos e-mails. Outros, utilizam os finais de semana para isso - já que estão com "tempo sobrando no domingo" (como me falou outro executivo).

Uma coisa é certa: esta não é a forma mais saudável para trabalhar. Nem deve ser a regra. Se a tecnologia "veio resolver problemas que nós não tínhamos", como me disse ironicamente um diretor executivo, cabe a nós estabelecermos a fronteira entre o que é saudável do que é obsessivo e neurótico.

Veja a íntegra do post de Mauro Segura, acessando:
http://aquintaonda.blogspot.com/search/label/comportamento

3 comentários:

Anônimo disse...

Discordo um pouco...

O "Stress Digital" só ocorre nas pessoas que não têm uma organização para filtrar o que é realmente necessário para suas necessidades.

Um bom filtro de e-mails, um leitor de RSS organizado e uma passada rápida em suas redes sociais, respondendo somente aquilo que é importante, são suficientes para evitar o "Stress Digital".

Luiz Antônio Gaulia. disse...

Obrigado pelo seu comentário! Uma abordagem que racionalize a administração do tempo é sempre necessária. Se vai funcionar ou não, vai depender do volume de informações consideradas "importantes" e seus desdobramentos - igualmente importantes e urgentes. É claro que qualquer ferramenta que ajude nessa questão será bem-vinda, lembrando que a cultura organizacional é quem vai influenciar pra valer o nível de stress.Abraços, Gaulia

Tatiana Maia Lins disse...

A gente anda "tão maluco" com essa urgência em fazer coisas e a falta de tempo, que quando temos mais tempo, ficamos incomodados com a sensação de estarmos "perdendo tempo"...
Há uns dias passei por este incômodo. "Ganhei" 3h no meu dia que gastava de deslocamento quando saí de um emprego longe de casa e, de repente, me senti na obrigação de ser ainda mais "produtiva" agora que tenho mais tempo.