domingo, 18 de setembro de 2011

O show do eu e o show de Scarlett.








Em tempos de photoshop nenhuma imagem pode ser considerada de fato verdadeira. A foto que "vazou" na web com Scarlett Johansonn, nua no banheiro de sua casa, parece ser uma destas montagens provocativas de algum fã mais ousado ou coisas do gênero. Em tempos digitalizados e virtualizados, a tecnologia nos permite uma variável criativa inimaginável há alguns anos.




Todo internauta torna-se um autor, distribuidor e comentador de acontecimentos, pesquisas, histórias e, claro, da vida alheia. Não é a ferramenta em si que causa tudo isso, mesmo porque um simples martelo pode servir para pregar madeira ou como arma de combate. É o comportamento do usuário que faz as coisas acontecerem e a tecnologia só facilitou as coisas, para o bem e para o mal.




Se a foto for 100% original, feita pela própria atriz, não há que se dar explicações: no banheiro de casa fazemos o que fazemos e realmente ninguém tem nada a ver com isso. Mas a pergunta é: como vazou? Vazou por quê? Marketing ou invasão de privacidade?




Imaginando que a própria atriz queria que esse momento íntimo se transformasse em discussão pública, temos um belo exemplo do que a Profa. Dra. Paula Sibilia (UFF / ECO UFRJ) escreveu em seu "O Show do Eu" de forma esclarecedora e brilhante. A intimidade tornou-se espetáculo, fazendo da própria personalidade "uma criatura orientada aos olhares dos outros como se estes constituíssem a audiência (...) como se a vida transcorresse sob a lente incansável de uma webcam" (2008, P. 258).




Hoje ninguém precisa ser uma mega celebridade já consagrada pelo cinema, como a bela Scarlett Johansonn, para dar audiência. Basta cair na rede. Mas a questão é gerar permanentemente comentários, hits no site, retweets, postagens. A celebração do eu precisa se alimentar de mais celebração do eu. Tempos hiper narcisos, com certeza, onde "todos nós somos os artistas da vez" numa multiplicação caleidoscópica de egos dos que queriam sair do anonimato das multidões.




A discussão extrapola a torrente de imagens, fotos, vídeos e postagens num volume de informação indigesto para uma sociadade, cada vez mais sem tempo. Na agilidade dessa tecnologia fomos engolidos pelo instante. Na corrida para a próxima estréia, fofoca ou exposição da vida privada de uma novíssima celebridade on line, ficamos sem tempo para parar e refletir, para entender como toda essa cultura web nos aprisiona ou nos liberta.




Este é um tempo devorador de imagens e de informação,de rostos e corpos, onde não há mais segredos, onde tudo é transparente. Até nossa antiga e solitária privacidade, dentro do banheiro de casa...














2 comentários:

Anônimo disse...

Em 2009, uma menina argentina chamada Agustina Vivero (conhecida como "Cumbio") conseguiu fazer de sua exposição pessoal pessoal na web um caso de sucesso, unindo o marketing e a sua "inclusão" na sociedade de consumo a partir de sua opção sexual. Saiu no New York Times, mas isso já seja notícia velha. De qualquer forma é outro exemplo dessa exposição programada que a atriz em questão parece protagonizar no banheiro de sua casa...

Anônimo disse...

Parece que foi um hacker "invasor" da vida privada de celebridades quem vazou essas fotos. Disse a atriz, na revista Vanity Fair que ela enviou estas imagens há tempos para seu ex-marido Ryan Reynolds. O hacker grampeou o envio pelo celular da atriz e jogou na web...parece que Scarlett conseguiu mais fama com o episódio.