segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Comunicação interna e sustentabilidade.

A sustentabilidade em suas dimensões ambientais, sociais, econômicas, culturais, afetivas e até espirituais é muito mais do que um air bag preventivo de crises nos diferentes segmentos do negócio. Ela é transformação da empresa e dos homens enquanto máquinas, para uma empresa mais humana, coerente e consciente de suas responsabilidades, de seus cuidados para com a vida no planeta.



No delicado equilíbrio entre cada órgão, cada ponto de contato influi no conjunto vivo, assim como uma pequena pedra no sapato machuca e compromete o balanço do caminhar. Diante disso, não é difícil entender que a comunicação interna pode facilitar a identificação de pontos fragilizados, atuando na prevenção de riscos e de crises. Para essa perspectiva se realizar, a comunicação deve fluir espontânea, aberta e participativa. Não há organismo vivo onde a comunicação seja estanque ou fragmentada. Um ser vivo é a prova essencial de que o comunicar renova, anima e constrói, unindo as partes num todo comum indissociável.



Se as lideranças não sabem se comunicar, pois não sabem ouvir, o processo de role-modeling cria uma cultura avessa à comunicação, qual um organismo vivo funcionando com um marca passo de controle artificial e externo. A crise surge (e ressurgirá) como sintoma da doença do silêncio e da arrogância, características perigosas do descaso com uma verdadeira “ética do cuidado”.


Comunicação interna e sustentabilidade devem, portanto, caminhar alinhadas para fazer do discurso um exemplo de prática disseminada por toda a organização. Desde a alta liderança até as bases da operação, passando pelos empregados terceirizados. Ou isso acontece de fato, ou a sustentatbilidade será uma utopia colorida publicada em anúncios na televisão.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Imagina a Luíza na sua comunicação interna.

Será que o exemplo de sucesso do comercial da construtora Água Azul, que colocou a Luíza, aquela que estava no Canadá (mas a essa altura já voltou e ainda vai dar muito o que falar num próximo comercial) poderia ser utilizado na comunicação interna?




Bem, não necessariamente aquela atriz, personagem Luíza, mas como uma estratégia articulada e fenômeno de repercussão com seu hashtag #LuizaEstanoCanadá - que foi um dos tópicos mais comentados no Twitter nos últimos tempos. Imaginem! Seria possível transformar a comunicação interna que por vezes é lenta, ultrapassada, chapa branca e burocrática num modelo mais dinâmico, bem-humorado e com tamanho potencial de ser seguido, replicado, visto e comentado?




Sem dúvida um desafio que vai precisar de comunicadores internos criativos, ousados, pacientes e estratégicos. E claro, também para lideranças inovadoras. Pensar a comunicação interna nos padrões de originalidade do que se vê hoje, no marketing e na propaganda, poderia trazer um sopro de interesse, curiosidade e resultado para os objetivos da comunicação na divulgação de programas de RH, de planejamento estratégico e das diretrizes da liderança. Duvida?

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Maturidade.




Algumas empresas se destacam pelas suas inovações e por buscarem ambientes de trabalho diferenciados. Agências de propaganda costumam ter essa característica para facilitar processos criativos e a geração de ideiais, projetos e planos originais. Independentemente disso, o trabalho continua com cobranças, as metas são cada vez mais difíceis e a concorrência, pesada.


Nesse sentido, modelos de gestão de pessoas podem e devem oferecer o melhor para seus empregados. Contudo, essa busca sempre dependenderá do nível de maturidade da organização, além das características do negócio. Essa análise serve para a comunicação, assim como para benefícios oferecidos.


Uma reportagem interessante, apresentada pelo Jornal Destak, mostrou que companhias como a Novo Nordisk, fabricante de produtos farmacêuticos, além da gigante Google, entre outras, permitem que seus empregados tirem uma "soneca", após o almoço, em salas chamadas de "descompressão". Enquanto algumas empresas ainda trabalham no ritmo de comando e controle, com vigilância severa sobre seus empregados, outras vão se destacando pelas suas propostas originais e promovem um ambiente mais produtivo de trabalho, de uma maneira menos autoritária.




terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Nova loja conceitual da ADIDAS.



A Adidas está espalhando pela Europa novas lojas cujo lay out é uma embalagem de tênis. Manchester, Antuérpia, Amsterdam e Copenhagen já ganharam essa novidade. A loja não tem vitrines, o que me parece um ponto negativo. Mas chama atenção pela ideia e inovação que aproveita o design das suas caixas de tênis para atrair consumidores. O detalhe dos cadarços pendurados pela parede lateral é genial.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Comunicação interna na PM.



O jornal "O Globo, na sua edição de hoje, divulgou foto de um cartaz de comunicação interna voltado para os soldados da PM do Rio de Janeiro.


A peça apóia uma proposta de valorizar a ética e incentiva a reflexão sobre as escolhas que um policial militar deve fazer no exercício de sua função. Seu texto questiona se o policial deseja ser visto com orgulho ou com uma "vergonha" para a sua família, mostrando uma imagem onde um soldado fardado está algemado e recebe a visita de seu filho na cadeia. Uma peça sem requintes de design ou direção de arte, mas capaz de passar um recado certeiro, impactando a consciência de cada um.




Deveria ser um modelo e ser reproduzida para todos os órgãos governamentais e instituições de Estado. E quem sabe, para a própria sociedade como um todo. Afinal, sempre que existe um "corrupto" existe também um "corruptor" do outro lado do balcão.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

BERG: mini impressora.



A BERG, um estúdio de design na Inglaterra, está lançando uma pequena impressora pessoal com a mesma tecnologia e os mesmos formatos dos recibos para cartão de crédito e débito. A maquininha une a conectividade, via smartphones, e o melhor de uma impressão preto e branco, para produzir um "mini newspaper" pessoal.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Proxxima: conteúdo digital.



Recebi da Agência Ideal a mala direta para divulgação da Proxxima, plataforma do Grupo Meio & Mensagem sobre conteúdo digital. A peça vem embalada numa caixa de "Primeiros Socorros" e traz os remédios indicados para o tratamento intensivo de "profissionais com problemas de absorção e compreensão de conteúdo digital". A fórmula é certeira e não deixa de estimular a curiosidade do destinatário.


A peça divulga as plataformas da Proxxima em todas as suas mídias integradas: site, Ipad, mobile, eventos, rádio e revista (aliás, a qualidade gráfica da revista é um show à parte).



terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Mãe Terra: no caminho da sustentabilidade.



A Mãe Terra é uma marca de produtos orgânicos que, desde 1979, tem uma filosofia que "Pensando bem", como eles mesmos dizem, busca estar mais próxima da vitalidade da natureza. Dessa forma, nas suas embalagens eles declaram que não são perfeitos, mas se esforçam, com muita alegria, para fazer produtos "naturais" de verdade.


Além disso, rastrearam sete impactos ambientais de seus alimentos, desde o plantio até a entrega nas gôndolas explicando os seus princípios de desenvolvimento dos produtos. Um exemplo bastante útil, para uma sociedade que busca a tão falada sustentatbilidade.


Uma pena o site ainda não ter o canal de contato "Fale Conosco" funcionando. Mas, mesmo assim, fica a dica: os cookies de Castanha-do-Pará + 5 grãos são deliciosos e não possuem agroquímicos, nem corantes artificiais, além de não terem nenhuma semente ou ingrediente transgênico. Outra coisa boa: os níveis de sódio também são moderados!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Criativa.



A peça publicitária do Ministério da Saúde não é novidade, pois a campanha é de 2008. Mas quero publicá-la por aqui porque traz uma imagem que talvez seja tão eficiente quanto às fotos obrigatórias e horrorosas dos danos provocados pelo cigarro à saúde, e que agora fazem parte das embalagens dos cigarros. Uma ideia criativa que passa o seu recado: vício é vício. Você se torna prisioneiro (a) dele sem perceber.


E isso vale para o álcool, o consumo de açúcar, de sal, de gordura, o uso de remédios, a paranóia com a forma física e toda uma variável bastante ampla que faz parte da nossa natureza humana. É preciso portanto, saber se controlar, conhecendo a si mesmo (o que não é fácil). Nosso lado emocional às vezes se revela de forma profunda, nos deixando fragilizados. É nessa hora que os exageros de toda espécie cabem como uma luva em nossos comportamentos. O problema é fazer dessas excessões, um hábito diário.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Adeus às embalagens coloridas.



O Governo da Austrália aprovou um nova regulamentação para as propagandas de cigarro. Desta vez o tir certeiro atingiu o design das embalagens e obrigou a Philip Morris, bem como a British American Tobacco Australia a colocar em todo o espaço das suas embalagens os malefícios causados pelo fumo. A decisão abre caminho para uma batalha judicial pesada - onde quem mais vai faturar serão os escritórios de advocacia. A saída poderá ser a adoção de uma embalagem completamente branca, sem os apelos coloridos que existem hoje.


Enquanto isso continuam os estudos para lançar o cigarro sem fumaça - que poderá ser considerado menos agressivo à saúde.