sábado, 12 de janeiro de 2013

Comunicação face a face: saber escutar.

Voltei a ler o livro de Steven Covey : "Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes" (complementado depois com um oitavo hábito). Steven Covey faleceu em 2012, mas suas ideias continuam atuais e úteis não só para empresas, como também para nossas vidas privadas.

Acho que cada vez mais o pessoal e o profissional se misturam e se complementam. O que é ótimo, uma vez que entendo o trabalho como uma busca da realização pessoal, uma dimensão que concretiza nossa presença nesta vida e nos permite alcançar um sentido maior de realização. Ou seja, o profissional nos oferece a trajetória para deixarmos aqui a nossa marca, o nosso legado.

Mas voltando ao livro de Covey, revisito em suas páginas a questão da comunicação face a face, da conversa e da importância do saber ouvir para melhor nos relacionarmos.

Destaco a seguir quatro trechos fundamentais do Capítulo 10, chamado de "Combinando vozes". Confiram, pois nos faz refletir sobre como estamos escutando os outros na hora em que estamos dialogando:

  • "A maior parte das pessoas não consegue escutar com a intenção de compreender. Elas ouvem com a intenção de responder. Elas estão sempre falando ou se preparando para falar. Elas filtram tudo através de seus próprios paradigmas, lêem sua autobiografia na vida das outras pessoas."
  • "Se todo o ar fosse repentinamente sugado para fora do local onde está agora, o que aconteceria com seu interesse por este livro? Você ligaria mais para ele, não daria mais a mínima para nada, a não ser conseguir respirar. Sobreviver seria sua única motivação. Mas agora que você tem ar, isso não o motiva. Esta é uma das grandes descobertas no campo da motivação humana: Necessidades satisfeitas não motivam. Apenas as necessidades insatisfeitas motivam as pessoas."
  • "Depois de sobrevivência física, a maior necessidade humana é a sobrevivência psicológica - ser compreendido, se afirmar, receber incentivo, ser amado. Quando você ouve com empatia o que outra pessoa tem a dizer, está dando ar psicológico àquela pessoa. E, depois que esta necessidade vital é satisfeita, você pode se concentrar na solução dos problemas ou nos conselhos que tem a dar."
  • "Ouvir em profundidade exige um bocado de segurança, porque você se abre às influências. Torna-se vulnerável. É um paradoxo, de certo modo, porque você precisa se dispor a ser influenciado para poder influenciar."


Nenhum comentário: