sábado, 9 de fevereiro de 2013

O que o lançamento de uma novela ensina sobre a "rádio corredor"?

No final da novela Avenida Brasil da TV Globo, lá pelos  capítulos finais do folhetim, todo mundo já sabia que Salve Jorge entraria no ar. Os espectadores já sabiam sobre a  locação, quem seria o herói, o bandido, a mocinha, o nome dos atores, da autora e a base da trama que iria se desenrolar nos meses seguintes. Todo mundo estava avisado pela telinha, pelas revistas, nas notícias dos jornais e nos sites noveleiros e de artistas. Ou seja, a novidade estava sendo compartilhada de antemão, de forma integrada e sem segredos.

Minha pergunta é simples: por que a comunicação interna não trabalha nessa mesma linha estratégica? Por que na maioria das organizações a notícia que circula nos canais oficiais ou é sempre velharia, já tendo sido divulgada externamente na imprensa, ou é resultado das versões produzidas pelos corredores?

A estratégia de lançamento das novelas dão um gostinho daquilo que vem pela frente sem provocar rupturas, dentro de um calendário de comunicação que começa semanas antes do momento da estréia e da mudança. Essa é uma lógica que deveria ser adotada nas organizações pela comunicação interna. Uma boa lição para quem quer acabar com a rádio corredor, aquela rede de fofocas que distorce expectativas e confunde muito mais do que esclarece.

Claro, que problemas de gestão nunca serão resolvidos pela comunicação, mas a forma como se conversa e como se esclarecem projetos, mudanças e lançamentos ajuda muito para a credibilidade dos canais internos.

Nenhum comentário: