sábado, 18 de maio de 2013

A "visão negativa" na comunicação.

Será que as campanhas "contra" alguma coisa funcionam mesmo? Campanha antitabagismo, campanha contra a corrupção, contra as drogas etc. Será que a mensagem do contra alguma coisa, com uma pegada negativa, consegue impactar uma pessoa além da proposta de trabalhar um conflito ou uma negatividade inerente a um relacionamento?

Tenho me perguntado se uma proposta de trabalhar uma visão de um futuro ao invés de trabalhar um viés de culpa, medo e conflito contra uma determinada ameaça (drogas, armas, violência contra a mulher etc.) não é bem mais eficiente como estratégia comunicativa.

Gosto de campanhas que nos ajudam a pensar, refletir e não dão respostas prontas. Quando trabalhamos com a mudança de hábitos e comportamentos estamos lidando com emoções e também modelos mentais e culturais que não são fáceis de serem mudados.Por isso, estimular as pessoas a concluir alguma coisa  por si mesmas, me parece muito mais inteligente do que "ser do contra" com mensagens óbvias, estimulando o conflito entre o certo e o errado. Mesmo porque muitas vezes o certo de hoje será o errado de amanhã...e vice-versa.





Um comentário:

Anônimo disse...

Nova página de Clemente Nobrega no Facebook:

www.facebook.com/innovatrix