quarta-feira, 20 de novembro de 2013

"Descuido e descaso. A insustentável incoerência do ser" (Trecho do artigo publicado no livro CUIDADO e SUSTENTABILIDADE).



Respeitar a vida humana é um princípio essencial desta nossa reflexão sobre o cuidar, que parte da Declaração Universal dos Direitos Humanos: uma conquista que considero até tardia para as nações do planeta e que já deveria ter sido ampliada para a compreensão de um dever cuidar de todos os seres vivos animados e não animados, da fauna e da flora, quem sabe, talvez, numa fusão com a Carta da Terra e na questão educacional, com a Carta da Transdisciplinariedade. Lembrando que se os direitos humanos são por certo impraticáveis sobre uma terra devastada e exaurida, um planeta só de plantas e animais vivendo em equilíbrio dinâmico, mas sem a presença do animal homem, também me parece inútil. Se somos parte de um todo muito maior que, talvez não vá sentir falta do “bicho homem” caso inviabilizemos nossa própria presença, eis aqui mais um motivo para irmos além da precaução ou da prudência e demitirmos de vez o descaso e o descuido com a vida, de nossas práticas diárias. Eis aqui um motivo para estabeleceremos o saber cuidar como base da tal sustentabilidade.

Nenhum comentário: