domingo, 3 de agosto de 2014

Publicidade engajada? Ideologia? Provocação?

Para chamar a atenção e tentar alertar a juventude sobre a violência contra a mulher, uma tática publicitária pode ser a desconstrução da fantasia do "viveram felizes para sempre". 

Uma campanha assinada por um tal de "Saint Hoax"(um pseudônimo) tenta nos provocar nessa direção de escandalizar para fazer refletir. Veja algumas peças com as personagens Ariel, a pequena sereia e a bela Sherazade. 



Se vão mudar alguma realidade sobre a brutalidade entre casais ou a brutalidade entre seres humanos, ninguém sabe ao certo. Mas, com certeza, podem interferir nos contos de fadas, suas narrativas e na cabeça da criançada espectadora desse filmes e adoradora desses personagens. 



Essas ações que escandalizam propostas de negócios atacando marcas como a da Disney em suas ações "politicamente corretas, em prol de uma causa, muitas vezes criam outros problemas. Dizem o teóricos acadêmicos que estereótipos sexistas reforçados pela histórias infantis com as da Disney, perpetuam desigualdades de gênero. 



Para mim, isso é pura bobagem de quem teoriza na sala de aula mas não entende nada de folha de pagamento. O ser humano é sexista também sob as ditaduras soviéticas e cubanas que baniram as histórias infantis burguesas, substituindo-as pelo pensamento único do tirano de plantão. 



O lado animal da nossa espécie ataca os mais fracos, busca o poder e causa dor e morte. Graças a deus, nós também temos um lado genial e amoroso, capaz de criar laços de solidariedade capazes de construir civilizações e culturas admiráveis.

Bater em mulher é um ato selvagem, criminoso e não é por causa da desenhos infantis que uma mulher ou uma criança vai virar alvo ou presa fácil de algum troglodita.Há muito mais para ser analisado. Há muito mais na nossa natureza do que uma ou outra resposta ou provocação simplista.

Nenhum comentário: