domingo, 29 de março de 2015

Havana alfajores adoçando Niterói.

Os alfajores Havanna, chegaram no Plaza Shopping de Niterói para alegria dos seus consumidores e fãs. Agora a cidade irmã do Rio tem o primeiro quiosque na cidade. Além dos famosos alfajores da marca, galletitas (bolachas com recheio de creme de limão, cobertas ou não por chocolate), barritas (doce de leite em barras), tabletes de chocolates e as coronitas (bombons com recheio de doce de leite) estão prontos para serem devorados exatamente antes da Páscoa. Aliás, não faltou nem mesmo o ovo de Páscoa, com tripla camada de doce de leite e o panetone recheado de doce de leite! Show! 

Em 2014, a Havana iniciou seu projeto de expansão no Brasil com a comercialização de franquias. Atualmente, está em 28 pontos de venda operados de forma direta no país, e em uma distribuição seletiva com aproximadamente 80 lojas de delicatessen selecionadas para representar a imagem da marca. Havana surgiu em 1947, em Mar Del Plata, quando um grupo de amigos se uniu para fabricar alfajores. Nos anos 90, a empresa abriu os primeiros Havanna Café, lugares confortáveis, onde os clientes podiam tomar um café, comer sanduíches e...doces! Hoje são mais de 200 lojas na Argentina, Chile, Paraguai e aos pouquinhos elas também se espalham pelo Brasil. 

segunda-feira, 23 de março de 2015

Sustentabilidade é uma prática sistêmica.

Sustentabilidade é uma prática sistêmica. A capacidade de sobreviver em cenários adversos depende cada vez mais dessa verdadeira competência empresarial. Ou competência governamental, no caso de empresa públicas geridas por políticos ou funcionários técnicos. Na questão que se refere à ética, toda a empresa é igual. Se os pilares básicos de um negócio não estiverem baseados em princípios éticos, o prédio inteiro pode ruir. Não existe atalho certo ou prática correta quando o objetivo final é ilegal, desonesto.


Para mim não existem empresas do mal, mas sei que existem gestores incompetentes e também gestores desonestos. E tem gente que é criminosa mesmo, como em todos os lugares e em todos os empreendimentos.Públicos ou privados. A ocasião faz o ladrão já dizia um velho ditado popular. Mas é muito triste e doloroso ser testemunha de momentos de verdadeira desconstrução do valor de uma empresa e uma marca fantástica como a da Petrobras. Uma marca cuja história sempre foi de orgulho para todos os brasileiros e muita gente de fora do Brasil. Eu mesmo trabalhei em diversos projetos sociais e de comunicação e fiz várias vezes visitas de benchmarking para conhecer e aprender mais sobre o modelo da Petrobras. O exemplo da Petrobras. 

Muitos amigos ainda estão por lá e nessas horas a gente só pode torcer para que o passado e o capital reputacional acumulado, consigam ser resgatados nesta que é a maior crise que se tem notícia. Uma crise que ainda não acabou.
Nesta semana a empresa foi retirada do Dow Jone Sustainability Index e na semana passada o Gerente de Comunicação saiu da empresa após 12 anos de trabalho; o CONAR tinha determinado a mudança de um filme publicitário da companhia - que realmente parecia fora da realidade e do momento e há semanas, a própria Presidente Graça Foster tinha pedido demissão


sexta-feira, 20 de março de 2015

Água. O que você está fazendo a respeito?

O próximo dia 22, domingo, é o Dia Mundial da Água (World Water Day da ONU). Todo mundo já sabe que ela é uma preciosidade, mas nós não estamos cuidando direito desse recurso. Se de uma lado tem falta, do outro tem desperdício. Se tem muita abundância, também pode ter muita poluição misturando água e sujeira. Ou seja, o desafio é enorme e vital. O jornal a Folha de São Paulo de hoje traz um quiz divertido com boas dicas sobre economia e conscientização sobre a água. As imagens são engraçadas, mas o assunto é super sério.

Vale a pena conferir o joguinho on line. E ficar alerta com nossos hábitos e comportamentos.

quarta-feira, 18 de março de 2015

Vínculos são a sustentabilidade colocada em prática.

A comunicação empresarial tornou-se disciplina obrigatória de grandes, pequenas e médias empresas. De marcas de produtos e serviços, tradicionais e ou estreantes no mercado, de organizações estatais e da iniciativa privada. Companhias abertas e listadas na bolsa de valores, de capital fechado, de alcance regional, nacional ou global. Não importa.

Off-line, on-line, all time... o fato é que cada vez mais “quem não se comunica, se trumbica” como falava o Chacrinha, apresentador mítico de programas de auditório da televisão brasileira que fez escola. As empresas, na verdade, são sempre empresas de comunicação e seus negócios são feitos através de muita comunicação. Seja ela organizada, orientada para uma abordagem comercial ou orientada para uma proposta de construção de marca e de valor compartilhado. De criação de vínculos mais perenes e de menos ações predatórias.

No cenário atual, a meta para um novo modelo de trabalho poderia surgir a partir  da ideia de que só vender para clientes ou consumidores precisa dar lugar a uma nova experiência: a do relacionamento e da criação de vínculos no longo prazo. E vínculo se faz com diálogo, conversa, contato, proximidade, conhecimento. Vínculos são a sustentabilidade colocada em prática, em cada relacionamento. Vínculos fazem a sustentabilidade acontecer de fato, principalmente na sua dimensão social e econômica.



O desafio cada vez mais é estruturar canais, arquiteturas de relacionamento e conexões que facilitem a construção de vínculos através de conversas que resultem em novos negócios. Através do fortalecimento dos vínculos, podemos criar um novo modelo de trabalho não mais baseado meramente na troca comercial ou na exploração financeira de um ou outro stakeholder. 

Fácil de escrever, difícil de colocar em prática no mundo real. Mas um belo desafio!

Foto: fonte.

sábado, 14 de março de 2015

Muito mais para o seu bebê.Só podia ser Johnson's.

Não tem jeito. Só uma única marca sabe transmitir carinho, cuidado e o amor das mães por seus bebês. Atributos que conquistam e fidelizam qualquer cliente, especialmente mães que buscam o melhor para seus bebês. E essa marca chama-se Johnson's.



Os atributos ganham forma nos produtos da Johnson's e agregam mais valor no relacionamento que essa companhia global possui com toda sua rede de interlocutores. Especialmente seus colaboradores, clientes e admiradores - como eu -, pois reforçam uma confiança que existe há mais de 120 anos entre mamães zelosas e exigentes com os produtos oferecidos por esta que é uma marca, verdadeiro ícone mundial.




São poucas as marcas que conseguem isso. O último filme que está sendo veiculado não foge à regra e repete o estilo e o visual característico, com cenas e fotografia que só poderiam ser exclusivamente montadas para os "bebês Johnson's". O posicionamento do "Muito mais para o seu bebê" foi da BBDO-NY do Grupo Omnicom e é certeiro. A gente acredita no que escuta e vê durante o maravilhoso filme. E pode comprovar tudo depois, no banho.

A mensagem passar a importância do momento do banho na construção de uma conexão entre filhos e pais, nos primeiros anos de vida das crianças. A propaganda tem como base os resultados da pesquisa Global Baby Bath Time que apontou que o momento do banho traz benefícios para o desenvolvimento cerebral dos pequeninos. 

A marca Johnson's é a prova secular que uma empresa com valores, tradição, respeito e excelência podem se perpetuar por gerações. 

domingo, 1 de março de 2015

Anos dourados.


A propaganda é sempre reflexo da sociedade. Espelha a cultura, influencia tendências. Estimula vendas e negócios, apresenta novos produtos. Sempre foi essa a lógica e o objetivo publicitário. 

Achei esse anúncio da Nestlé, do famoso Leite Ninho, navegando pela web e quis compartilhar por aqui. O texto é pura inocência para os dias atuais, reparem. Mas naqueles dias (creio que anos 60 ou 70 do século passado) ele valia o fee da agência por causa de preciosidades como essas: "Ninho é fabricado com leite de ordenha recente"  e é  "(leite) obtido de vacas que vivem ao ar livre, alimentando-se de ricas pastagens.". Uma beleza, não é? Anos dourados da propaganda...