segunda-feira, 20 de abril de 2015

Há cinco anos: Deepwater Horizon.

Há cinco anos meu trabalho de mestrado foi baseado no acidente da Deepwater Horizon. Desde aqueles dias eu tenho acompanhado a BP na reconstrução do valor de sua marca - uma tarefa difícil e dolorosa. Foram onze pessoas que morreram naquele acidente. Foram milhares de aves e plantas que sucumbiram afogados em óleo naquela região do Golfo do México. Toda a área recebeu recursos financeiros como compensação para os prejuízos (confira abaixo), mas a vida marinha vai precisar de muitos anos ainda para se recuperar totalmente, assim como a economia. As vidas perdidas...não tem preço.



Mas a empresa não fingiu esquecer, como muitas iriam tentar fazer. Hoje, sua diretoria global, respeitosamente, fez um minuto de silêncio para lembrar o acidente e seus mortos e reforçar seu compromisso com um futuro mais sustentável e mais seguro nas suas operações e nos seus postos de trabalho. O site da BP colocou em destaque todo o trabalho, de forma clara e aberta. Essa é uma atitude respeitosa de quem assume erros, busca aprender com o passado e pretende retomar seu valor no mercado e a confiança de seus diferentes stakeholders




Transparência é para poucos. O case BP - Deepwater Horizon é um aprendizado para todo o setor no que diz respeito a desastres ambientais de grandes proporções. Outros cases mundiais envolvendo corrupção também deveriam seguir esse exemplo da BP e serem examinados a fundo, sendo relembrados todos os anos, servindo de exemplo para as futuras gerações. A sustentabilidade não é apenas ambiental.

Saiba mais sobre as consequências do acidente, clicando aqui na matéria do The Guardian. Veja mais sobre o acidente, clicando aqui. 


Nenhum comentário: