sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Ranking de valor das marcas latinas.



US$ 132 bilhões é o preço das 50 marcas mais valiosas da América Latina segundo o ranking anual BrandZ, elaborado pela Millward Brown. Nesse ranking, a cerveja Skol lidera na frente da mexicana Corona. As marcas Bradesco, Itaú e Brahma também se destacam nas dez primeiras posições.



A marca Skol, da AB InBev, cresceu 20% em valor de marca, ultrapassando a mexicana Corona. Mas nem tudo é festa. A marca Petrobras, uma das mais valiosas em até 2012, simplesmente desapareceu do ranking.

Nesse ranking, o Brasil responde por 24% do valor, a Colômbia responde por 15%, empatada com o Chile. O México lidera com um total maior de marcas.

domingo, 20 de setembro de 2015

Aplausos para Roberto Medina: empreendedor de sucesso mundial.

Minha especial homenagem ao talento, à visão, ao espírito empreendedor de Roberto Medina. Este publicitário que soube se reinventar e tornou-se um empresário de sucesso mundial. Um exemplo! 


A sua marca Rock in Rio (RIR) é hoje um sinônimo de competência, diversão, festa. Muito mais do que um festival de música, o RIR é um mega evento de cultura, arte e entretenimento global. Movimenta milhões de dólares, centenas de artistas, bandas e atrações, mexe com o calendário turístico das cidades por onde passa e comprova que brasileiro pode mostrar para o mundo que sabe trabalhar com competência, quando tem liberdade para sonhar e empreender, sem governo medíocre pra atrapalhar.

Só de lembrar que o primeiro RIR, lá em 1985, teve que enfrentar governador raivoso e ideologicamente contra um show de rock e até convencer o bispo da cidade - que temia reunir um milhão de pessoas -, além de mil e um entraves burocráticos, realmente, precisamos aplaudir esse talento.

Roberto Medina: simplesmente genial. Aplausos merecidos para ele e toda sua equipe.

Raio X das árvores?

O artista Jason Dean lançou recentemente uma coleção do "raio X" das árvores. Uma espécie de identidade digital capaz de mostrar como cada uma delas é única em sua formação, mesmo sendo da mesma espécie. Assim como seres humanos, as árvores também tem características singulares apesar de num olhar mais desatento, todas parecerem idênticas. A sensibilidade do artista nos chama a atenção para detalhes que passam despercebidos no corre-corre de nossas atarefadas vidas.

Programa Colmeias.

A FIBRIA está realizando o Programa Colmeias dando apoio aos apicultores no Vale do Paraíba. Em parceria com o IBD - Instituto Bio-Dinâmico,  a empresa fez uma capacitação com representantes do programa a fim de credenciá-los para que passem a contribuir no processo de certificações orgânicas. Credenciados, os técnicos locais poderão auxiliar nas auditorias internas de certificações do IBD e, consequentemente, o acesso da agricultura familiar a essas certificações será bem mais fácil e com custos menores.

Atualmente, um dos impasses que pequenos produtores rurais e apicultores enfrentam é a dificuldade em conquistar a certificação de seus produtos devido ao alto custo das certificações orgânicas. A parceria da FIBRIA com o IBD proporciona a inclusão dessas famílias que sobrevivem da agricultura familiar.

O Programa Colmeias é desenvolvido pela FIBRIA com o objetivo de fomentar a cadeia apícola no Vale do Paraíba, onde atualmente cerca de 80 famílias são atendidas por esta iniciativa.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

BMW: carro, estilo de vida, roupa e conexão total.

A BMW é indiscutivelmente um fabricante de carros cuja marca se posiciona como uma conexão entre o motorista, o veículo e o mundo exterior. Sua gama de serviços inteligentes fica sob a bandeira da BMW ConnectedDrive. Não é por acaso que a marca apresentou em Berlim, neste mês de setembro,  na IFA, a maior e mais alucinante das feiras mundiais de home appliances, acessórios e equipamentos eletrodomésticos e eletrônicos, o seu novo carro elétrico "sustentável" e pra lá de inteligente.
 
 
 
Aliás (pausa) o que é essa feira com seus produtos inovadores e na vanguarda do design? Telefunken (lembram?), Siemens, GoPro e muitas outras estavam por lá! Tinha até mini helicóptero.E tinha até produto da marca...IFA!
 
 
 
 
 
 
 
Bom, mas lembrando do carro. O carro enquanto uma "extensão da casa" do motorista, consome menos energia, utiliza menos água na sua produção, é mais leve com ligas e peças em alumínio, traz elementos reciclados e recicláveis além de APPs e acessórios bem como variadas soluções integradas.  O conceito é amplo: conectar a  vida do motorista numa marca completa - que evidentemente também tem roupas para quem quiser sair vestindo a marca. Lembra muito as grandes marcas japonesas que permeavam diferentes produtos.
 
 
 

domingo, 13 de setembro de 2015

NATURA ganha prêmio da ONU.

 A Natura ganhou o prêmio da Organização das Nações Unidas (ONU) "Campeões da Terra 2015", na categoria Visão Empresarial. Ao atribuir o prêmio à Natura, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) reconheceu o compromisso da empresa de colocar a sustentabilidade no coração de sua estratégia de negócios, o que apoia a Agenda para o Desenvolvimento Sustentável 2030 da ONU. O diretor-executivo do PNUMA, Achim Steiner, disse: “O modelo de negócios da Natura é um exemplo de como a sustentabilidade e o empreendedorismo andam lado a lado. O trabalho da companhia para ter cadeias de fornecimento verdes, reduzir sua pegada de carbono e apoiar comunidades locais demonstra não só um compromisso admirável com o meio ambiente. O sucesso da Natura é uma inspiração e modelo para empresas de toda parte. Eles mostraram que padrões de consumo e produção sustentáveis não só são possíveis como beneficiam tanto a companhia como a comunidade”.
 
A Natura possui operações em seis países da América Latina e na França, além da marca australiana Aesop, adquirida em 2013, com presença nos cinco continentes. A companhia emprega um modelo de produção sustentável baseado no fornecimento responsável de ingredientes naturais e trabalho com comunidades locais, para incentivar inovação ecológica em todo o ciclo de vida de um produto. “Estar entre os reconhecidos como Campeões da Terra nos inspira ainda mais a ampliar o potencial de nossa empresa de gerar impacto positivo na sociedade e no meio-ambiente”, diz Roberto Lima, diretor-presidente da Natura. “Buscamos uma agenda de desenvolvimento sustentável que vá além do comportamento empresarial e que esteja inserida de fato em nosso modelo de negócios.”
 
A Natura é uma empresa carbono neutro desde 2007, com esforços intensos para minimizar sua pegada de carbono em todas as etapas de produção e para compensar suas emissões de CO2. Esse processo ajudou a acender a inovação ecológica, influenciando as tecnologias, o design e as fórmulas desenvolvidas pela empresa. Com o Programa Amazônia, lançado em 2011, a Natura busca fomentar a criação de negócios sustentáveis na região amazônica, impulsionando o desenvolvimento de uma economia de floresta em pé. A companhia lançou, este ano, uma linha de produtos que usa um novo ativo amazônico, a ucuuba. Antes derrubada para exploração madeireira, a árvore em pé passou a render três vezes mais ao ano às comunidades locais com o manejo sustentável para fornecer cosméticos à Natura.
 
 

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Hospitalidade S.A.

O Brasil vai sediar o maior evento esportivo do planeta em 2016. Pela primeira vez na história da América Latina vamos receber atletas, delegações e visitantes de mais de 200 nacionalidades diferentes! Nosso país será o palco de um espetacular encontro de culturas cuja notícia principal será a competição e a busca pelas medalhas olímpicas.
Tirando um pouco o foco e atenção sobre este lado já conhecido da superação física nas quadras, nas piscinas e ginásios, lembro que este encontro de povos é na verdade uma aula prática de hospitalidade.
Saber receber o mundo em nossa própria casa vai nos exigir mais do que um sorriso simpático.  A recepção e o convívio com pessoas de hábitos, línguas e religiões variadas, de sistemas políticos nem sempre democráticos, de comportamentos, indumentária e gestual surpreendentemente plural e muitas vezes completamente desconhecidos por nós vai exigir de todos mais conhecimento. Muita leitura para descobrir e entender cada país e dedicação para acertar no atendimento, no serviço oferecido, nas eventuais emergências. Já tivemos duas amostras similares, durante a Copa do mundo de futebol e também na Jornada Mundial da Juventude. Entretanto, 2016 será um ano único.
Grandes empresas têm trabalhado de forma intensa para colocar suas marcas ligadas fortemente ao sucesso dessa empreitada. Pensam não só nos benefícios comerciais, mas também buscam ampliar relacionamentos e alavancar as suas reputações a partir de vínculos de respeito. Patrocinadores olímpicos mundiais como a Nissan, a Samsung, a Coca-Cola, a P&G e a GE e patrocinadores oficiais dos jogos olímpicos como o Bradesco, a Claro e a Embratel, entre outros fornecedores, além da Estácio, a única universidade apoiadora da Rio 2016, sabem que a hospitalidade, a excelência dos serviços e um atendimento exemplar dos clientes, dos turistas e de todos os visitantes serão essenciais para ampliar a admiração pelas suas marcas.
Mas não são apenas as empresas que estão sendo chamadas. Todos nós, ilustres cidadãos, estamos sendo convocados para um desafio coletivo que vai ser vitrine para o mundo, que vai servir como um exemplo. Mais do que só honrar o mérito esportivo, todos nós seremos desafiados a dar uma aula na arte de receber e respeitar nossos visitantes. Somos cordiais e afetuosos, diz a tradição. Com certeza, um belo diferencial. Nosso entusiasmo é grande como nosso coração, mas só o improviso não vai dar pé.
Aprender mais sobre os nossos convidados e ampliar a nossa capacitação profissional é uma obrigação. O mundo vai avaliar a nossa hospitalidade e nossas boas maneiras. Conscientes dessa avaliação, ter um compromisso com a educação vai fazer toda a diferença. O cronômetro já foi disparado e estamos todos em campo. A hospitalidade não é uma sociedade anônima. Ela tem a cara de cada um de nós.