quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Chegou o bullying aéreo...

Rituais de passagem sempre fizeram parte dos grupos sociais. Alguns deles podem ser do tipo "solidário" como em trotes com calouros recém ingressos nas faculdades que deixaram de ser pintados como palhaços e hoje buscam recolher alimentos para asilos e orfanatos (a Estácio incentiva essa atitude em seus campi). Outros, lamentavelmente, são mais violentos, como nas forças armadas. O fato é que esses ritos de passagem sempre existiram e sempre existirão, pois vivemos influenciados por modelos culturais diferentes e em conjunto com gente cuja mentalidade e nível de consciência é variado, pendendo sempre a balança da civilidade para uma maioria brutalizada e brutalizante. Desta vez um lamentável episódio veio da China, país de um histórico autoritarismo de Estado - que sempre marca a vida de seus cidadadãos. A empresa de aviação Kunming Airlines surgiu nos comentários das redes sociais através de fotos de suas aeromoças "enfiadas" dentro dos bagageiros.


Com seus rostos cobertos não sabemos dizer se estão rindo envergonhadas ou chorando. Ou os dois. De qualquer forma uma foto é apenas uma parte do conjunto da obra. Como elas foram colocadas ali em cima? O que se passou naquela situação é um mistério que as autoridades da aviação civil na China estão querendo saber. Será mesmo? 

Bom, a companhia aérea em nota oficial relatou que desconhece a prática: uma espécie de ritual para novas aeromoças ingressantes nas tripulações. Ou seja, coisa de troglodita aéreo. Brincadeira ou ritual de aceitação que eu particularmente nunca entendi. A Kunming também já tinha sido notícia colocando suas aeromoças com saias curtas e uniformes da seleção brasileira quando a seleção ainda era uma campeã nos campos de futebol da Ásia. Mas essa é outra prática, de marketing para sensualizar no atendimento aos clientes. Então, quem quer viajar pela Kunming?


Nenhum comentário: