segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Retrato da crise.

Um acidente ambiental da proporção do ocorrido em Mariana (MG) atinge em cheio a reputação não só da Samarco, mas também das suas controladoras: Vale e BHP. Uma tragédia com vítimas fatais e graves desdobramentos - que ainda continuam acontecendo e atingindo outras cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo -, é um momento de forte mobilização solidária e também muita revolta. 

Agora, o mais importante é cuidar das pessoas, dos ecossistemas e evitar consequências ainda mais desastrosas.  É muito grave a crise. É muito triste testemunhar tudo isso. As vítimas fatais e o trauma em crianças e moradores desalojados não têm preço.

Um comentário:

Anônimo disse...


O escritório de advocacia Bottini & Bottini abriu uma ação coletiva contra a Vale nos Estados Unidos. Com a abertura do novo processo, a mineradora enfrenta agora duas ações dessa natureza na Justiça americana. De acordo com o documento arquivado no Tribunal de Justiça do Distrito Sul de Nova York, a ação foi aberta em nome de um investidor citando perdas geradas por consequência do acidente da Samarco.