sábado, 16 de janeiro de 2016

Audiovisual: o dinâmico mercado do entretenimento.

Segundo a consultoria PwC, brasileiros estão desembolsando algo em torno de 600 milhões de reais com cinema, TV a cabo, DVDs e filmes online por ano. O total, se a crise permitir, tem aumentado e a estimativa para  o ano de 2017, arrisca um volume de gastos cheguem a 800 milhões. Quem pode lucrar e crescer e com esse mercado de entretenimento são as produtoras nacionais, marcas como White Gorilla, Globo Filmes e a paulistana O2 estão mexendo com a dinâmica do mercado audiovisual. Um mercado que em tempos economicamente magros ainda é a opção mais em conta para uma classe média encurralada entre impostos altíssimos, desemprego e falta de investimentos no país. 

Falando em produtoras, a marca Legendary Entertainment (criadora de sucessos como 300, The Hangover, Jurassic World e Godzila), número de Hollywood, foi abocanhada pela chinesa Dalian Wanda e agora suas produções deverão ter o crivo cultural dos empresários do partidão chinês e suas metas de soft power global. O negócio foi fechado por US$ 3,5 bilhões e o fundador da Legendary, Thomas Tull, continua como Presidente do Conselho. 

2 comentários:

Anônimo disse...

A fabricante de eletrodomésticos chinesa Haier Group comprou a atividade de eletrodomésticos da General Electric (GE) enquanto o conglomerado Wanda Group adquiriu o estúdio de cinema de Hollywood Legendary Entertainment. No mesmo período, a própria ChemChina comprou a alemã KraussMaffei por quase US$ 1 bilhão

Anônimo disse...

E as grandes produções com atores-heróis chineses já estão chegando em massa para conquistar corações e mentes. O épico The Martian mostra uma grande cooperação entre a China comunista e os EUA. Qual a mensagem de futuro diante da enigmática e simbólica corrida para conquistar o "planeta vermelho"?